Conheça os sintomas da depressão

16/09/2016 |

depressaoA depressão é uma doença mais comum do que se imagina e muitas pessoas ainda pensam que quem está sofrendo com a doença precisa aparentar tristeza e querer ficar isolado do mundo. Mas não é bem assim que funciona.

A depressão é uma doença que causa desequilíbrios químicos no cérebro, influenciando nas sensações de prazer, bem estar e disposição. Esses desequilíbrios podem afetar uma série de funções do nosso corpo, mas causam, principalmente, tristeza, desmotivação, insegurança, além de outros sintomas.

Mas a depressão traz consequências que vão além de problemas emocionais. É muito comum que a pessoa depressiva apresente vários sintomas físicos e dores inexplicáveis. Vamos citar as mais frequentes e ajuda-lo a entender melhor como essa doença afeta nosso corpo e nossa mente.

A baixa produção dos químicos ligados ao bem estar ocasiona no depressivo uma maior sensibilidade a dor. Dores abdominais, síndrome do intestino irritável, mudança de hábitos intestinais acontecem com bastante frequência e, após procurar um gastroenterologista, muitos pacientes acabam sendo diagnosticados com depressão.

Dores de cabeça constantes são outro incômodo muito comum em quem tem depressão. Ao guardar uma série de medos, incertezas e frustrações, o indivíduo começa a descarregar no corpo, apresentando o que chamamos de somatização. Ele não tem controle sobre isso e precisa procurar ajuda médica para melhorar o quadro.

Sono em excesso ou insônia também ocorrem com frequência, interferindo diretamente na produtividade e disposição de quem sofre com a depressão. Outro incômodo comum é a constante tensão na nuca e nos ombros, que pode piorar os quadros de dor de cabeça.

Cansaço constante, fadiga, alterações de apetite e peso, incluindo anorexia e bulimia, são mais alguns dos problemas desencadeados pela depressão. Além de dores generalizadas e imunidade comprometida.

Ou seja, além da tristeza, apatia e falta de motivação, quem tem depressão sofre com outros inúmeros desconfortos e problemas. Por isso é de extrema importância procurar auxílio médico nesses casos, para que o quadro não evolua mais e, com a ajuda de medicamentos e psicoterapia, o paciente possa ter uma qualidade de vida maior.

Se você conhece alguém que tem depressão, seja compreensivo. Não use termos como “frescura”, “falta do que fazer”, etc. A depressão é uma doença real e faz cada vez mais vítimas no mundo. Vamos todos ficar atentos!