Saiba mais sobre a rinite alérgica

05/09/2016 |

riniteVamos começar com um exemplo: você está cozinhando e, de repente, acaba inalando sem querer um pouco de pimenta. Imediatamente o seu corpo reage com um espirro. Isso acontece devido a uma reação natural do nosso organismo, que faz com que o nariz mande embora o que ele identificou como sendo um corpo estranho. Quem possui a rinite alérgica tem uma reação exagerada aos agentes estranhos inalados, causando bastante desconforto e incômodo.

Essa reação exagerada normalmente inclui coriza, nariz entupido, espirros e coceira. Algumas pessoas também podem apresentar irritação nos olhos, a chamada conjuntivite alérgica, além de dermatites e asma.

Já se sabe que a genética contribui para desenvolver casos de rinite alérgica e, se um dos pais apresentar o problema, as chances dos filhos também sofrerem com o problema gira em torno de 50%. Quase sempre os primeiros sinais da rinite surgem nos primeiros anos de vida, mas casos tardios não são raros.

Ao nosso redor existem milhares de substâncias alérgicas, como a poeira doméstica, o pólen, a poluição, pelos de animais de estimação, ácaros, etc. A poeira é o mais comum, já que é composta por vários itens, como descamação da pele humana, insetos, fungos, bactérias e ácaros, sendo esses últimos os que mais irritam quem sofre com a rinite alérgica.

Os maiores sintomas da rinite são irritação no nariz, garganta, olhos e pele, incômodo acentuado com determinados odores, espirros e coriza, tosse, olheiras, irritabilidade, audição e olfato prejudicados.

O diagnóstico costuma ser feito por médicos imunologistas e otorrinolaringologistas, mas também pode ser feito pelo clínico geral e pediatras. Podem ser necessários alguns testes de pele e de sangue.

O tratamento consiste, basicamente, em manter a higiene do ambiente onde o alérgico costuma ficar, evitando tapetes, cortinas, bichos de pelúcia e mantendo uma ventilação adequada. A limpeza deve ser feita com pano úmido e sem o uso de produtos de limpeza que podem deixar cheiros e prejudicar ainda mais a saúde do alérgico.

Podem, ainda, ser utilizados medicamentos para tratar a alergia e seus sintomas, além de alguns tipos de vacina que ajudam a melhorar a imunidade e evitar as crises.

A única forma de tentar evitar o problema é mantendo-se longe de agentes alérgicos, mas isso é praticamente impossível, considerando que muitos deles encontram-se no ar.

Lembre-se sempre de consultar um médico caso apresente qualquer sintoma desagradável. Somente ele está preparado para fazer o diagnóstico e indicar o tratamento preciso para o seu caso.